Benefícios da reeducação alimentar para a saúde

Benefícios da reeducação alimentar para a saúde

A internet está cheia de fórmulas mágicas para emagrecer. Muitas delas envolvem sacrifício, seja físico, financeiro ou até psicológico. No entanto, o consenso entre a maioria dos nutricionistas é a reeducação alimentar. Mas o que é reeducação alimentar?

É tão simples quanto o nome sugere: conceito de reeducação alimentar é exatamente reaprender a comer.

As agendas lotadas, os dias corridos e o estresse afetam diretamente a alimentação. Tanto que a principal desculpa de quem não come bem é a falta de tempo.

É daí que surge a ideia da reeducação alimentar. Trata-se de uma mudança na maneira de pensar, com a criação de novos hábitos. E que geralmente cabem em qualquer rotina.

A palavra de ordem é equilíbrio. É preciso balancear todos os principais grupos de alimentos para conseguir emagrecer.

Sim, reeducação alimentar emagrece. Mas, muito mais que isso, essa transformação traz benefícios para a saúde.

Reeducação alimentar ou dieta?

Reeducação alimentar

É muito fácil confundir uma coisa com a outra. A palavra dieta vem do latim diaeta. Significa “modo de vida”. E de fato, reeducar a alimentação é adotar um novo estilo de vida.

Porém, a principal diferença entre reeducação alimentar e dieta está no rigor. A maioria impõe regimes e restrições difíceis de seguir a longo prazo.

Além disso, as dietas são as grandes responsáveis do “efeito sanfona” – aquele em que a pessoa alcança o resultado, mas logo volta ao peso anterior.

Esse retorno dos quilos perdidos acontece por dois motivos. Um deles é que o corpo, ao perceber o corte brusco de certos alimentos, entende que precisa guardar mais calorias. Assim, desacelera o metabolismo.

Além disso, com esses regimes, as pessoas tendem a acreditar que em um momento chegarão ao fim. Elas seguem à risca, mas quando o ciclo termina, é como se tivessem conquistado a liberdade.

A reeducação alimentar ensina o cérebro a comer melhor. Traz novos hábitos que continuam por toda a vida.

O processo de emagrecimento pode até ser um pouco mais lento. Mas se levar o novo estilo de vida para o resto da vida, o resultado também será mantido para sempre.

A importância da reeducação alimentar e seus benefícios

A maior parte das pessoas procura reeducação alimentar para emagrecer. No entanto, comer de forma equilibrada traz resultados muito além do corpo perfeito.

Frutas

Entre os benefícios da reeducação alimentar para a saúde, está o fortalecimento do sistema imunológico. Com isso, comer bem ajuda na prevenção de doenças.

Pessoas com bons hábitos alimentares têm menor risco de sofrer com doenças como diabetes, obesidade e problemas cardiovasculares. Também se beneficiam de um melhor funcionamento do intestino.

Para as mulheres, a reeducação alimentar reduz os inconvenientes da TPM, já que o corpo estará equilibrado. Pele e cabelos também sentem os efeitos positivos da alimentação equilibrada.

Ao reaprender a comer, o corpo melhora a capacidade de absorver os nutrientes de cada alimento. Isso resulta na manutenção das reservas de energia e dá a sensação de saciedade.

São inúmeros benefícios. Na lista abaixo, elencamos aqueles que consideramos os mais importantes:

  • Emagrecimento e controle do peso
  • Ganho de massa magra
  • Metabolismo em dia
  • Sistema cardiovascular protegido
  • Sono equilibrado
  • Redução de irritabilidade e estresse
  • Perfeito funcionamento do aparelho digestivo

Pode comer tudo?

A maior dificuldade de quem tenta emagrecer é enfrentar todos os sacrifícios e privações. A grande vantagem da reeducação alimentar é emagrecer sem restrições. O processo acontece sem sofrimento.

alimentos saudáveis

No entanto, isso não quer dizer que a pizza e o chocolate estão liberados.

Lembra da palavra “equilíbrio”? Ela é a chave do sucesso para quem busca mudar seus hábitos com a reeducação alimentar.

Existem alguns alimentos que, ao invés de ajudarem, irão acabar com seu processo de reeducação. São muitos, mas podemos destacar alguns como massas, pães, refrigerantes e bebidas alcoólicas.

“Ah, mas você disse sem sacrifícios. E o meu chocolate?”

Não confunda o fato de a reeducação alimentar emagrecer sem sacrifícios, com a falta de disciplina. Ao lado do equilíbrio, ser disciplinado é fundamental para atingir o resultado.

O chocolate que emagrece ainda não foi inventado. A sua barra de chocolates vai te dar uma rasteira. Mas não será um pedacinho que irá acabar com o seu processo de reeducação alimentar.

Viu só? É possível comer sem sacrifícios.

Como começar a reeducação alimentar?

O primeiro passo é tomar a decisão. Mas essa escolha é pessoal. Geralmente têm sucesso as pessoas que escolhem fazer a reeducação alimentar por vontade própria. Quem faz por pressões externas tem maior chance de desistir no meio do processo.

Após a decisão tomada, é importante entender onde é que está seu erro. Como dito antes, reeducar é ensinar seu cérebro novamente. Mostrar o que está certo e o que está errado em sua alimentação.

Por exemplo: se você tem compulsão por doces, comece reduzindo a quantidade que consome. Os regimes restritivos funcionam como um “choque de ordem”. E assim o corpo bloqueia.

Já na reeducação alimentar, basta reprogramar.

Artigos Recomendados:

Quem come doces mais de uma vez por dia pode começar reduzindo para uma. Em seguida, menos um ou dois dias na semana. Pouco a pouco, sem traumas, e logo a compulsão acaba.

Não sabe onde está errando? Então, durante dois ou três dias, anote tudo o que comer, com o horário e a quantidade. Você não terá dificuldade em perceber onde está o erro. E essas anotações serão a bússola que irá te guiar até a reeducação alimentar.

Outro ponto é transformar a sua relação com a comida. Para ter sucesso nessa reprogramação de hábitos, é preciso balancear o prazer e a necessidade.

Tomei a decisão, e agora?

Agora que você já entendeu o que é reeducação alimentar, e decidiu criar uma nova rotina, é hora de iniciar o processo.

alimentos

O primeiro mito a cair é o de que é caro fazer reeducação alimentar. Ao contrário das dietas, não é necessário gastar rios de dinheiro em lojas de produtos naturais.

Você também não precisa se tornar um Master Cheff para criar receitas para reeducação alimentar.

Lembre-se: a orientação de um nutricionista é fundamental. Ele será o seu guia. E com base na sua avaliação, irá te acompanhar para que alcance o objetivo.

Serão levados em consideração fatores como o índice de massa corporal, as rotinas de atividades físicas, os hábitos e tudo aquilo que faz parte do dia de quem opta pela reeducação alimentar.

Mas uma boa maneira de começar em casa, hoje mesmo, é entender quais os alimentos que fazem bem, e os que são nocivos ao corpo. Depois é só organizar a rotina.

É importante não ficar sem comer por longos períodos. Varia em cada organismo, mas uma média de três horas entre cada refeição costuma cair bem para a maioria das pessoas.

Um bom cardápio para reeducação alimentar deve conter sempre os seguintes alimentos:

  • Legumes
  • Verduras
  • Hortaliças
  • Aves
  • Carnes magras
  • Ovos

Existem ainda alguns tipos de alimentos que dão uma forcinha para quem deseja fazer a reeducação alimentar para emagrecer.

São aqueles que aceleram o metabolismo, como o café (sem açúcar), o gengibre, o guaraná em pó, a canela e algumas especiarias.

O grande desafio é entender as quantidades de cada alimento. Daí novamente a importância de um nutricionista.

No entanto, não há segredos para iniciar a reeducação alimentar. Já que, ao contrário das dietas, a reeducação alimentar será para a vida inteira, sinta-se livre para preparar os pratos que desejar.

Afinal, comer também é prazer.

E não há nada mais prazeroso que a vida saudável proporcionada por uma reeducação alimentar.

Envie seu comentário